Chinese (Simplified)EnglishFrenchGermanHindiItalianJapanesePortugueseRussianSpanish
O que fazer em Cairú
Cueira - Foto: Tatiana Azeviche - Setur-Ba (Licença: cc-by-sa-3.0)
Cueira - Foto: Tatiana Azeviche - Setur-Ba (Licença: cc-by-sa-3.0)

Pedras da Benedita, Tatiba e Tatimirim
Rochas localizadas, respectivamente, a cinco, sete e três milhas da costa. Esses locais representam boas opções para o mergulho autônomo.
Duração: tempo livre.
Dica: procurar em Morro de São Paulo serviço de mergulho, com instrutores e equipamentos apropriados.
Como chegar: alugar barco de pesca em Morro de São Paulo.

Ilha de Tinharé
Situada ao norte da sede de Cairu, essa ilha de cerca de 400 km2 é conhecida desde 1531, quando Martim Afonso de Souza a avistou e a denominou Tynharéa. Ali ficam os povoados de Morro de São Paulo, Garapuá, Gamboa e Galeão.
Duração: tempo livre.
Dica: a natureza local é muito diversificada, com paisagens compostas de praias, matas, morros e rios.
Como chegar: a bordo dos barcos e/ou lanchas, que geralmente partem da cidade de Valença.

Povoado de Morro de São Paulo
Localizado no extremo norte da Ilha de Tinharé e conhecido internacionalmente, esse é o principal povoado turístico do arquipélago, contando com inúmeras pousadas, hotéis, restaurantes e campo de pouso, além de belas praias, trilhas e passeios de trator (Besouro). Não deixa de ser curioso que a rua mais movimentada, onde se concentram bares, restaurantes, pousadas, receba popularmente o nome de Broadway. No povoado, existem instrutores de mergulho.

Garapuá
A leste da ilha de Tinharé, é um pequeno povoado de pescadores, com algumas barracas de praia na grande enseada dotada de vasto coqueiral e manguezal, mar de ondas fracas, areias brancas e finas. Ótima para o banho e esportes náuticos.

Pratigí
Praia boa para banho e quase deserta, com coqueiral e mar de ondas fracas.
Pontal ou da Barra - última praia da Ilha de Tinharé, onde o mar se encontra com o Rio do Inferno, dividindo as ilhas de Tinharé e Boipeba. Tem mar de ondas fracas e vasto coqueiral.
Dicas: não há circulação de automóveis na ilha. As barracas de praia de Morro de São Paulo promovem luaus.

Trilha da Fonte do Céu
Essa trilha passa por 4 km de mata entre Morro de São Paulo e Gamboa do Morro. No percurso, existe uma pequena e refrescante queda d´água. Há também um mirante com vista para o belo Canal de Cairu. Em Gamboa do Morro há infra-estrutura de apoio turístico.
Duração: tempo livre.
Dica: a trilha permite apreciar belas paisagens. Vale a pena levar máquina fotográfica.
Como chegar: a trilha em direção ao povoado de Gamboa do Morro começa na praça principal do povoado de Morro de São Paulo. O percurso é feito pela mata, beirando o Canal de Taperoá.

Trilha Morro - Garapuá – Boipeba
São 22 km de passeio, feito a bordo de Besouros (tratores-trens) que saem da Terceira Praia e percorrem a costa até a Quarta Praia. A partir dessa praia, segue-se por dentro da mata até o povoado de Garapuá, passando por uma lagoa e atravessando os riachos até a Praia de Pontal, onde desemboca o Rio do Inferno, na divisa entre as ilhas de Tinharé e Boipeba.
Duração: o dia todo.
Dica: levar máquina fotográfica ou filmadora.
Como chegar: na Segunda Praia, existem agências que vendem os bilhetes dos besouros. Nas caminhadas, Garapuá serve de ponto de apoio aos andarilhos.

Ilha de Boipeba
O nome Boipeba é de origem tupi boi-peba, 'cobra chata', possivelmente uma referencia à tartaruga marinha ou a uma espécie de cobra que, quando irritada, achata o corpo, sobretudo o pescoço.
Duração: tempo livre.
Dica: é bom preparar o espírito e as pernas - para conhecer a ilha, as caminhadas são fundamentais.
Como chegar: em trenzinho puxado por trator (Besouro). O passeio sai da Terceira Praia de Morro de São Paulo, passa por um trecho na praia e prossegue por uma trilha interna, por dentro da mata, passando pelo povoado e pela Lagoa de Garapuá, até chegar à Praia do Pontal, de onde é feita a travessia para a ilha de Boipeba.
De lancha e barcos: saindo de Valença, Barra dos Carvalhos e Torrinhas; esse último é um povoado de pescadores situado na Ilha de Cairu (ao sul), que serve como uma opção de apoio para o transporte para Boipeba (aproximadamente 25 minutos de lancha ou 1 hora de barco). Existe um estacionamento em Torrinhas para os visitantes de Boipeba.

Povoado de Velha Boipeba
Primeiro e principal povoado da ilha, fundado às margens do Rio do Inferno, é sede do distrito de Boipeba. A base econômica da população é a pesca e, mais recentemente, o turismo. O povoado possui bares, restaurantes e pousadas e um ancoradouro em concreto. A palha é a base do artesanato local. Pode-se fazer passeios de ultraleve e caiaque , que começam no Rio do Inferno.
Duração: 1 hora.
Dica: vale a pena visitar a Igreja Matriz do Divino Espírito Santo, do início do século XVII, erguida numa elevação e com uma grande escada de acesso.
Como chegar: através de passeio de Besouro, que sai de Morro de São Paulo, ou a bordo de lanchas e barcos que saem de Valença, Barra dos Carvalhos e Torrinhas. Esse último é um povoado de pescadores na Ilha de Cairu, que serve como opção de apoio ao transporte para Boipeba (cerca de 25 minutos de lancha ou 1 hora de barco). Em Torrinhas, existe um estacionamento para os visitantes que se dirigem para Boipeba.

Povoado de Moreré
Povoado de pescadores, com praias, vasto coqueiral e piscinas naturais. Possui duas pousadas e bares de praia. O nome do povoado vem do tupi e significa 'acará-disco', nome de um peixe.
Duração: 1 hora.
Dica: a maré baixa permite longas caminhadas pela extensa faixa de areia.
Como chegar: através de passeio de besouro, que sai de Morro de São Paulo, ou a bordo de lanchas e barcos que saem de Valença, Barra dos Carvalhos e Torrinhas. Esse último é um povoado de pescadores na Ilha de Cairu, que serve como opção de apoio ao transporte para Boipeba (cerca de 25 minutos de lancha ou 1 hora de barco).

Povoado de São Sebastião ou Cova da Onça
A origem do nome é curiosa. Ali fica uma espécie de subterrâneo que lembra a forma de cova, de difícil acesso, onde, segundo se acredita, existe uma imagem de São Sebastião deixada pelos jesuítas. O subterrâneo teria sido aberto no século XVII e, segundo dizem, serviu de esconderijo aos jesuítas dos ataques dos índios na época da colonização.
Duração: 2 horas.
Dica: vale a pena uma caminhada até a Ponta dos Castelhanos.
Como chegar: a partir de Velha Boipeba, o percurso de 12,5 km pode ser percorrido a pé ou de tamanca. É possível também chegar com lancha ou barco que passa pelo povoado de Barra dos Carvalhos, que fica no município de Nilo Peçanha.

Trilha de Velha Boipeba – Moreré
Passeio de 4,5 km a pé ou a cavalo, passando pela Primeira Praia e pela Praia de Tassimirim, até Moreré. O retorno pode ser pelo mesmo caminho, ou por uma trilha que passa por dentro das matas e do pequeno povoado de Monte Alegre.
Duração: 1 hora e meia.
Dica: na volta, visitar uma casa de farinha e um 'Rodão de Dendê', além da mata do Sertão.
Como chegar: a partir da vila de Velha Boipeba, percorrer a trilha pela praia na maré baixa. Uma segunda opção é pegar outra trilha por dentro da mata do Sertão, passando pela casa de farinha e pelo 'Rodão de Dendê'.

Conheça mais sobre Cairú
Destinos Bahia
Publicidade