Lavagem do Bonfim

Cortejo Lavagem do Bomfim - Foto: Tatiana Azeviche (Setur-Ba)
Cortejo Lavagem do Bomfim - Foto: Tatiana Azeviche (Setur-Ba)

As baianas despejam seus vasos com água de cheiro no adro da igreja e sobre as cabeças dos fiéis, num ritual de fé e esperança. Na sequência de festejos, destaca-se a Lavagem do Bonfim, uma quilométrica procissão, com todos vestidos de branco, entre a igreja da Conceição da Praia e a do Bonfim, no alto da Colina Sagrada. Todos os anos, cerca de 800 mil pessoas participam da procissão. As baianas, que abrem o cortejo, despejam seus vasos com água de cheiro no adro da igreja e sobre as cabeças dos fiéis, num ritual de fé e esperança.

A lavagem da Igreja teve início em 1773, quando os integrantes da 'irmandade dos devotos leigos' obrigaram os escravos a lavarem a Igreja como parte dos preparativos para a festa do Senhor do Bonfim. Posteriormente, para os adeptos do candomblé, a lavagem da igreja do Senhor do Bonfim passou a ser parte da cerimônia das Águas de Oxalá. A Arquidiocese de Salvador, então, proibiu a lavagem na parte interna do templo e transferiu o ritual para as escadarias e o adro.

Durante a tradicional lavagem, as portas da Igreja permanecem fechadas e as baianas despejam água de cheiro nos degraus e no adro, ao som de toques e cânticos de caráter afro-religioso (embora atualmente o ritual se revista de um perfil ecumênico), que ocorre na quinta-feira que antecede festa e conta com grande participação do povo, que chega em carroças enfeitadas, e das tradicionais baianas, com seus vasos com água de cheiro.

A lavagem festiva acontece com a saída, pela manhã da quinta-feira, do tradicional cortejo de baianas da Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, o qual segue a pé até o alto do Bonfim, para lavar com vassouras e água de cheiro as escadarias e o átrio da Igreja do Nosso Senhor do Bonfim.

Todos se vestem de branco, a cor do orixá, e percorrem 8 km em procissão, desde o largo da Conceição até o largo do Bonfim. O ponto alto da festa ocorre quando as escadarias da igreja são lavadas por cerca de 200 baianas vestidas a caráter que, de suas 'quartinhas' - vasos, que trazem aos ombros - despejam água nas escadarias e no átrio da igreja, ao som de palmas, toque de atabaque e cânticos de origem africana. Terminada a parte religiosa, a festa continua no largo do Bonfim, com batucadas, danças e barracas de bebidas e comidas típicas.

No domingo seguinte à lavagem, os devotos se reúnem na Igreja dos Mares para a procissão dos Três Pedidos, que percorre o largo de Roma em direção ao Bonfim. Na chegada à Colina do Bonfim, os fiéis dão três voltas em torno da Basílica, fazendo três pedidos. Uma pregação, bem como uma missa solene e a benção do Santíssimo Sacramento encerram os festejos

Data móvel: 2° quinta-feira de janeiro depois do Dia de Reis
Acontece em: Salvador

Cortejo Lavagem do Bomfim - Foto: Rita Barreto (Setur-Ba)
Cortejo Lavagem do Bomfim - Foto: Rita Barreto (Setur-Ba)
Cortejo Lavagem do Bomfim - Foto: Rita Barreto (Setur-Ba)
Cortejo Lavagem do Bomfim - Foto: Rita Barreto (Setur-Ba)
Cortejo Lavagem do Bomfim - Foto: Rita Barreto (Setur-Ba)
Cortejo Lavagem do Bomfim - Foto: Rita Barreto (Setur-Ba)
VER MAIS 10 FOTOS
 Veja também
No dia 02 de dezembro comemora-se o Dia Nacional do Samba. Instituído pela Câmara de Vereadores de Salvador, em 1940, foi parte das homenagens ao compositor Ary Barroso, que um ano antes lançara...Saiba mais
Festa tradicional de origem portuguesa, simboliza a visita dos Reis Magos ao Menino Jesus. A programação é composta de celebração de missas, no dia 06 de janeiro, visitação ao presépio no interior da Igreja...Saiba mais
Tradicional celebração popular, a Festa inclui duas procissões marítimas que conduzem a imagem de Nosso Senhor dos Navegantes pelas águas da Baía de Todos-os-Santos. Tradicional celebração popular, a...Saiba mais
Destinos Bahia
Publicidade