O que fazer em Porto Seguro
Marco Histórico - Foto: Jota Freitas - Bahiatursa
Marco Histórico - Foto: Jota Freitas - Bahiatursa

Centro Histórico
Visitar o sítio histórico da Cidade Alta é quase uma obrigação para os milhares de turistas que chegam a Porto Seguro - cidade Monumento Nacional instituída por decreto federal desde 1973. O sítio foi um dos primeiros núcleos habitacionais do Brasil e desempenhou papel importante nos primeiros anos da colonização. Ali estão três igrejas e cerca de 40 imóveis (entre residências particulares e instituições), recuperados pelo Governo do Estado, por ocasião das comemorações dos 500 anos do Brasil e que, à noite, ficam sob uma iluminação especial, de belo efeito cênico.

Outeiro da Glória
Do alto da falésia descortina-se a paisagem da cidade em outro belo ângulo. No local, as ruínas do que teria sido a Igreja de São Francisco, onde estaria sepultada Ynaiá, a índia que morreu apaixonada por um tripulante da esquadra de Gonçalo Coelho. Na versão popular, a Igreja de São Francisco foi a primeira construída no Brasil, em estilo barroco, provavelmente em 1504 e começou a arruinar-se em 1730.

Reserva Indígena da Jaqueira
Um imenso tronco de jaqueira, tombado pela própria ação da natureza, representa a volta às origens e serve de referência histórica e cultural dos ancestrais da tribo Pataxó às famílias que se mudaram recentemente para esta reserva de 827 hectares. As ocas, espalhadas em meio à Mata Atlântica primária, têm o formato original, passando para o visitante a exata sensação de estar nas terras de “pindorama”.

Ilha do Pirata
Considerado um dos mais sofisticados centros de aquários da América do Sul, a Ilha do Pirata é um centro de lazer temático que combina preservação da natureza e da biodiversidade marinha, através de aquários gigantescos, com uma superestrutura de lazer noturno. Fica na Ilha do Pacuio, no rio Buranhém e o acesso é feito exclusivamente por barco.

Vila de Arraial D´Ajuda
Descoberto pelo movimento hippie na década de 70, o Arraial D’Ajuda ganhou fama internacional com sua simplicidade elegante. A ocupação desordenada transformou ruas e becos em trilhas entre o mar e a mata. Seduzidos por uma atmosfera especial, aventureiros dos mais diversos países chegaram e se estabeleceram, transformando o Arraial na “esquina do mundo”, como é conhecido.

Centro Cultural de Eventos do Descobrimento
Implantado em uma área de 232 mil m², fica num platô 65 metros acima do Vale do rio Buranhém, de onde se tem uma visão panorâmica da região. O pavilhão de feiras tem 5.150 m² de espaço para exposições, entre varandas e área coberta. O pavilhão de convenções tem 5.400 m², com uma área interna de 2.153 m2, para 2.700 pessoas.A urbanização da área foi feita com base numa concepção informal e moderna, de grandes espaços verdes, dispostos organicamente, onde a vegetação tropical está preservada e as demais áreas estão perfeitamente integradas. Os estacionamentos oferecem 700 vagas para automóveis, 17 para ônibus, oito para deficientes físicos e três para ambulâncias. Existe um restaurante/lanchonete completo no local.

Passeios de Escuna
Empresas locais organizam passeios para o Recife de Fora, Recife da Coroa Alta, Caraíva, Trancoso e Abrolhos e Ilha Paraiso.

Mergulho
Em frente ao Recife de Coroa Vermelha existem diversos navios naufragados, além dos inúmeros recifes por toda a costa que formam excelentes pontos para os mergulhadores.

Museu Aberto do Descobrimento
É um museu natural, a céu aberto, onde as “galerias” são praias, vales e trilhas naturais e o “acervo” um conjunto de acidentes geográficos e núcleos urbanos tradicionais, dispostos como peças em exposição permanente, descritos em documentos antigos, distribuídos ao longo de 130 quilômetros do histórico litoral sul da Bahia. 

Conheça mais sobre Porto Seguro
Destinos Bahia
Publicidade