O que fazer em Juazeiro
Enoturismo no Vale São Francisco - Foto: Gabriel Carvalho - Setur-Ba  (Licença-cc-by-sa-3.0)
Enoturismo no Vale São Francisco - Foto: Gabriel Carvalho - Setur-Ba (Licença-cc-by-sa-3.0)

A noite de Juazeiro
Cidade musical, a noite de Juazeiro é sempre criança e os agitos começam inevitavelmente às quintas-feiras. São inúmeros bares, restaurantes e casas noturnas com música ao vivo, que alimentam o lazer de uma juventude alegre e descomprometida, que se diverte principalmente na orla fluvial. A culinária é apetitosa e varia entre os frutos do rio e os da caatinga.

O Pôr-do-sol em Juazeiro
O pôr-do-sol sobre o 'caminho d´água do sertão' é um dos momentos mais deslumbrantes para curtir a orla. É hora de sentar em um dos muitos bancos largos, de alvenaria, espalhados ao longo da orla, à sombra de amendoeiras e flamboyants, para ouvir MPB. Enquanto o sol desce preguiçoso, atrás da ponte Eurico Gaspar Dutra, que liga Juazeiro a Petrolina, dá pra sentir ao vivo e a cores a inspiração que tomou conta do compositor Caetano Veloso para compor a canção 'O Ciúme'.

Diversão
Na orla fluvial, no calçadão, os grupos se reúnem em pelo menos três bares que são pontos de efervescência. Um deles reúne a galera 'teen' em torno de música ao vivo e churrasco de picanha, a partir do final da tarde, e só fecha quando acaba o movimento, nunca antes da meia-noite. Quase em frente, outro bar atrai os adeptos do pagode, também a partir do final da tarde e durante todos os finais de semana. O espaço tem estilo rústico; é um grande galpão aberto, somente com paredes laterais. O espaço é aconchegante e a animação é tanta que as pessoas dançam até no meio da rua, pois o interior está sempre lotado.

Vaporzinho
Também na orla fluvial está o restaurante mais original, montado dentro de uma embarcação a vapor, que era típica no São Francisco, apresentando música ao vivo num ambiente agradável. A freqüência fica por conta dos 'descolados', adeptos da bossa nova, boleros e outros ritmos 'calientes'. A especialidade da casa é o surubim, preparado de várias maneiras. Este restaurante tem uma história que está intimamente ligada à própria história do São Francisco, pois trata-se do vapor Saldanha Marinho, construído na América do Norte e adquirido pelo Imperador D. Pedro II para navegar nas águas sanfranciscanas, depois de navegar o Rio Mississipi e o Amazonas.

Na praça
Na praça de São Tiago Maior há pelo menos duas sorveterias, onde a dificuldade está em escolher o sabor do sorvete de frutas da região - umbu, manga, pinha, mangaba, jaca, coco verde ou deliciosas invenções como o de creme de passas ao vinho ou o de sonho de valsa. Uma imensa estátua de bronze em meio ao jardim é o ponto central da praça. As histórias sobre ela são no mínimo curiosas, pois ninguém sabe ao certo quem ela homenageia. Oficialmente, trata-se da estátua de São Tiago Maior mas, para os antigos freqüentadores do local, a estátua 'representa o barqueiro mais forte de Juazeiro'.

Comida típica
A cozinha é um atrativo: filé de surubim grelhado, bode assado e carne de sol. Na margem do rio, outro restaurante funciona em uma antiga embarcação típica do São Francisco e oferece uma variedade de pratos à base de peixe. A grande pedida é a porção de macaxeira (aipim) cozida e depois frita na manteiga de garrafa, que derrete na boca.
Vários outros restaurantes servem comida a quilo, inclusive regional. O destaque fica por conta da comida baiana - caruru, vatapá, bobó de camarão, moquecas, sarapatel, carneiro e buxada. Alguns deles também oferecem o serviço à la carte, com destaque para o surubim ao molho branco.

Área de Preservação Natural Vale do Salitre
Esta área tem seu relevo composto por três serras: da Cruz, do Olho d´Água e do Colono. A vegetação tipo caatinga, o clima semi-árido, os solos porosos e a cobertura pedregosa fazem da região um espetáculo chocante e ao mesmo tempo encantador.
Visitação: acesso livre.

Rio São Francisco
O Rio São Francisco é o rio mais famoso da Bahia, responsável por uma grande parte da história e cultura do Brasil e da própria cidade de Juazeiro. Sua nascente se localiza na Serra da Canastra, em Minas Gerais. Vale a pena dar uma conferida em suas águas cristalinas e conhecer um pouco da história que as águas deste rio contam.

Ilha do Fogo
A Ilha do Fogo faz divisa entre os estados de Pernambuco e Bahia. Nessa área, o lazer está presente tanto para os banhistas, quanto para os praticantes de esporte, como o vôlei, que tem, para sua prática uma área reservada e exclusiva.
Visitação: de segunda-feira a domingo, das 9 às 18 horas.

Ilha do Rodeadouro
Essa região é um ponto turístico muito visitado e utilizado como camping no verão. O espaço livre é utilizado para banhos, shows promovidos pelos barraqueiros, entre tantas outras. Vale a pena conferir!
Visitação: acesso livre.

Conheça mais sobre Juazeiro
Destinos Bahia
Publicidade