O que fazer em Jacobina
Panorâmica da cidade - Foto: Bruno Interiorano (Panoramio)
Panorâmica da cidade - Foto: Bruno Interiorano (Panoramio)

Trilhas
Trilha dos Bandeirantes, a 8 km de Jacobina. Fazenda que será aberta ao uso turístico, com a denominação de Estação Ecológica Bandeirantes, composta de uma faixa de terra entre a Serra de Jacobina e a Serra do Pinhão. Aí, existe muita mata preservada, onde se pode admirar a cachoeira do Jequitibá, no rio Charneca, a cachoeira dos Amores, o canyon da cachoeira dos Amores, no rio do Ouro, a cachoeira do Brito, 500 metros abaixo da dos Amores, seguindo pelo desfiladeiro dos Payayás (nome derivado da tribo indígena que deu origem a Jacobina). Os turistas podem caminhar por uma trilha dentro da mata, observando árvores seculares e, seguindo mais adiante, podem visitar as ruínas da igreja de São Miguel das Figuras, de meados do século XVIII.

Trilha do Véu de Noiva, no distrito de Itaitu (Jacobina), inclui uma bela cachoeira com cerca de 60 metros de altura e própria para banho e prática de rapel;

Trilha do Piancó, no distrito de Itaitú, é uma trilha leve, que dá acesso à cachoeira do Piancó, de 40 metros, que forma caldeirões propícios para banhos;

Trilha da Jaqueira também é leve, de onde se pode visitar a cachoeira das Arapongas, o poço da Geladeira e a cachoeira do Sossego;

Trilha dos Payayás, no município de Saúde, a 44 km de Jacobina, de rara beleza, beirando o rio com diversas praias de areia alva e fina. Depois de andar cerca de uma hora, encontra-se a cachoeira, de uma beleza exuberante, que tem cerca de 40 metros e forma uma grande lagoa para banho.

Passeios Ecoturísticos

Cachoeiras do Paulista, próximas à vizinha cidade de Saúde, a 45 quilômetros de Jacobina, seguindo pela BR-324, formadas pelo rio do Paulista, que faz a divisória entre as cidades de Caém e Saúde.

Cachoeira do Aníbal, com 50 metros de altura e três quedas.

Cachoeira do Caldeirão, formada pelo rio Canavieiras, com 30 metros de altura.

Fontes de Itaipu, de água magnesiana - nascentes naturais que vêm dos tempos da mineração.

Lagoa Antônio Sobrinho, a maior de toda a região, e a do Jenipapo, tida como uma das mais belas e ideal para banho.

Gruta dos Ossos, onde ainda são encontrados restos de animais pré-históricos.

Cachoeira dos Alves e do Piancó, muito bonitas e que valem a pena ser visitadas.

Outras opções:

Compras
Jacobina é um grande centro comercial. Tem dois shoppings centers, cinemas, hotéis, sete bancos, diversos bares, restaurantes e comércio desenvolvido em todas as áreas, pois é um ponto de passagem para as cidades do Oeste, como Barreiras e outras.

Doces:

A cidade é também famosa pela fabricação de doces típicos - os mais conhecidos são o de marmelo, o de goiaba e o de banana.

Mercado Municipal
Quem visita Jacobina não pode deixar de passar no Mercado Municipal - que, como o de Salvador, também se chama de Modelo - e comprar peças do mais autêntico artesanato do sertão baiano. Há uma grande diversificação de trabalhos em couro, sisal, barro e cerâmica. Outra diversão é participar da feira-livre, onde se encontra uma variedade de frutas da região e diversos objetos da cultura popular, além de ervas milagrosas, defumados, roupas e outras miudezas.

A noite de Jacobina
À noite, as opções são muitas e vão desde o barzinho, onde a juventude faz ponto de encontro, até as boates, bons restaurantes e churrascarias. A culinária é típica do sertão baiano: carne de sol com pirão de leite, bode assado, buchada, feijão de corda, rabada e andu, um tipo de leguminosa característica.

Conheça mais sobre Jacobina
Destinos Bahia
Publicidade