O que fazer em Corumbá
Parque Marina Gatas - Foto: Jeronimo Freitas Rodrigues de Carvalho (Licença-cc-by-sa-3.0)
Parque Marina Gatas - Foto: Jeronimo Freitas Rodrigues de Carvalho (Licença-cc-by-sa-3.0)

Na encantadora cidade de Corumbá, existem inúmeros atrativos turísticos a serem explorados e dentre esses, selecionamos os quais consideramos como os mais importantes, além de interessantes:

A maior área inundável do mundo
Localizada no estado de Mato Grosso do Sul, Corumbá é a terceira cidade mais importante em termos econômicos, culturais e populacionais, depois de Campo Grande (capital) e Dourados. É também a cidade que abriga o porto mais respeitável do Mato Grosso do Sul. Localizada na fronteira oeste com a Bolívia, Corumbá possui 65 mil km2 de extensão, dos quais 70% de Pantanal, daí o apelido de Capital do Pantanal. A cidade é banhada pelo rio Paraguai, considerado o principal rio do Pantanal, que é a maior área inundável do mundo (230 mil km²), estendendo-se por Mato Grosso, Bolívia e Paraguai.

Tradicional hospitalidade pantaneira
Miscigenada por imigrantes, índios e povos das fronteiras vizinhas do Paraguai e Bolívia, sua cultura está presente em danças típicas, cantigas e culinária exótica. Seus habitantes agradam aos visitantes pela tradicional hospitalidade pantaneira. Corumbá é uma das cidades do Brasil que detém o privilégio de possuir uma coleção significativa de recursos naturais, históricos e culturais que, aliado a sua posição estratégica no cone sul-americano, naturalmente colocam-na como uma das localidades de maior potencial turístico das Américas.

Sugestão para o que fazer:

Período de piracema
O período de defeso dos peixes, vai de 03 de novembro a 28 de fevereiro de 2005, para garantir a reprodução natural dos peixes durante a Piracema. Neste ano, portaria do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Florestais Renováveis (Ibama) unificou o período de defeso nos estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. A legislação determina, também, que entre os dias 1º e 28 de fevereiro, a pesca amadora será liberada exclusivamente para a modalidade pesque e solte.

Além disso, a pesca fica proibida para todas as modalidades até 31 de março nas reservas de recursos pesqueiros. Durante o defeso será permitida apenas a pesca de subsistência praticada artesanalmente por populações ribeirinhas ou tradicionais, como pescadores profissionais, que poderão retirar dos rios até 3 quilos de pescado ou um exemplar de qualquer peso respeitando o tamanho mínimo de captura.

De acordo com a PMA, quem for flagrado pescando terá como punições multa em dinheiro, que pode variar de R$ 700 a R$ 100 mil mais R$ 10 por quilo de peixe irregular; apreensão do pescado e materiais; além de prisão. Em caso de flagrante em rios de domínio do Estado, o encaminhamento será para a Polícia Civil. Já nos rios da União, os infratores serão levados para a Polícia Federal.

Conheça mais sobre Corumbá
Destinos Mato Grosso do Sul
Publicidade