Últimos posts

Chegança

Chegança do Almirante Negro- Foto: Divulgação
Chegança do Almirante Negro- Foto: Divulgação

A luta dos cristãos pelo batismo dos Mouros

Dança que representa em sua evolução a luta dos cristãos pelo batismo dos Mouros. A apresentação sempre acontece na porta de igrejas, onde uma embarcação de madeira é montada para o desenvolvimento das jornadas.

A predominância é do azul e do branco. O padre, o rei e os Mouros (personagens da Chegança), utilizam outras tonalidades. O pandeiro é o principal instrumento de acompanhamento, eles utilizam também apitos e espadas. Bastante teatral, a apresentação completa da Chegança demora, geralmente, 60 minutos. A influência do Samba em Sergipe

O samba é um gênero musical e tipo de dança popular brasileira cuja origem remonta à África. Os negros escravos que chegaram a Sergipe no início do século 17 trouxeram uma bagagem cultural muita significativa, com ritmos e cânticos que aos poucos foram sendo assimilados pelos portugueses e brasileiros.

Essa mistura de culturas produziu um tipo de samba, marcado por batidas suaves e sincopadas. Sergipe é responsável pela absorção do samba em outras manifestações folclóricas, existentes até hoje. Em várias partes do Estado, mas principalmente no Litoral Sul, grupos folclóricos como Batucada, Samba de Coco e Pisa Pólvora, são exemplos vivos da raiz mais pura do Samba.

Chegança de Sergipe: Uma Dança de Resistência Cultural:

A Chegança de Sergipe, em sua essência, representa a evolução da luta dos cristãos pelo batismo dos Mouros. Essa manifestação cultural única encontra seu palco principal na porta de igrejas, onde uma embarcação de madeira serve como cenário para as elaboradas jornadas que simbolizam o conflito histórico. A dramatização da Chegança, além de ser uma expressão artística, é uma forma de manter viva a memória da resistência e das interações culturais que marcaram a história de Sergipe.

Simbologia Visual e Cores Marcantes:

A riqueza visual da Chegança é expressa através da predominância das cores azul e branco, simbolizando a pureza e a espiritualidade. No entanto, o contraste surge com personagens específicos, como o padre, o rei e os Mouros, que adotam tonalidades distintas, enriquecendo ainda mais o espetáculo. Essa paleta de cores não apenas destaca a estética da apresentação, mas também carrega consigo significados simbólicos que contribuem para a narrativa visual da Chegança.

Instrumentos e Elementos Teatrais:

O acompanhamento musical da Chegança é conduzido principalmente pelo pandeiro, que dá o ritmo característico à dança. Além disso, apitos e espadas são utilizados, acrescentando uma dimensão auditiva única ao espetáculo. A combinação desses instrumentos e elementos teatrais cria uma atmosfera envolvente, imergindo os espectadores na narrativa da Chegança. A apresentação, marcada pela teatralidade, demanda tempo, geralmente durando 60 minutos, proporcionando uma experiência completa e rica em nuances culturais.

Influência do Samba em Sergipe:

O samba, gênero musical e dança originários da África, desempenhou um papel significativo na formação cultural de Sergipe. Os negros escravos que chegaram à região no início do século 17 trouxeram consigo ritmos e cânticos que, ao longo do tempo, foram incorporados pelos portugueses e brasileiros. Essa assimilação cultural gerou uma forma única de samba em Sergipe, caracterizada por batidas suaves e sincopadas. A presença do samba é notável em diversas manifestações folclóricas, sendo um fio condutor que une tradições africanas e brasileiras.

Manifestações Folclóricas Sambistas em Sergipe:

Sergipe, em especial no Litoral Sul, é um berço de grupos folclóricos que preservam a essência pura do samba. Entre eles, destacam-se a Batucada, o Samba de Coco e o Pisa Pólvora, exemplificando a fusão harmônica das raízes africanas com a cultura local. Esses grupos não apenas perpetuam o legado do samba, mas também enriquecem as manifestações folclóricas sergipanas com a autenticidade e energia características desse gênero musical.

Cultura Viva e Transformação Contínua:

A rica tapeçaria cultural de Sergipe reflete não apenas as tradições preservadas, mas também a capacidade de adaptação e transformação constante. A Chegança e o samba, representativos de diferentes contextos culturais, coexistem, influenciam-se mutuamente e se reinventam ao longo do tempo. Essa dinâmica cultural viva é evidência da resiliência da identidade sergipana, que incorpora elementos de diversas origens para criar uma expressão cultural única e em constante evolução.

Integração e Diálogo Cultural:

A presença simultânea da Chegança e do samba em Sergipe é mais do que um reflexo de influências culturais diversas; é um testemunho da integração e do diálogo contínuo entre diferentes expressões artísticas. A coexistência dessas manifestações não apenas enriquece a cena cultural local, mas também promove uma compreensão mais profunda da diversidade cultural que moldou a identidade de Sergipe ao longo dos séculos.

Desafios e Oportunidades na Preservação Cultural:

Apesar da riqueza cultural, desafios persistem na preservação dessas expressões artísticas. A globalização e as mudanças sociais apresentam ameaças à autenticidade dessas práticas, exigindo estratégias eficazes de preservação. Contudo, as oportunidades para a promoção cultural através de festivais, programas educacionais e intercâmbios culturais são vastas. Ao abraçar essas oportunidades, Sergipe pode não apenas preservar, mas também fortalecer suas tradições culturais para as gerações futuras.

Turismo Cultural e Projeção Nacional:

As tradições da Chegança e do samba em Sergipe também desempenham um papel vital no cenário do turismo cultural. Essas manifestações, carregadas de história e autenticidade, têm o potencial de atrair visitantes interessados em experiências únicas e imersivas. Ao promover o turismo cultural, Sergipe não apenas preserva suas tradições, mas também contribui para a economia local e para a projeção nacional dessas expressões artísticas singulares.

Educação Cultural e Consciência Histórica:

A integração das manifestações culturais como a Chegança e o samba nas iniciativas educacionais pode desempenhar um papel crucial na construção de uma consciência histórica e cultural sólida. Ao incorporar essas práticas nas escolas e programas educacionais, Sergipe fortalece os laços entre as gerações, garantindo que o conhecimento sobre a Chegança e o samba seja transmitido de forma contínua, mantendo viva a rica herança cultural do estado.

Chegança do Almirante Negro- Foto: Divulgação
Chegança do Almirante Negro- Foto: Divulgação
Chegança do Almirante Negro- Foto: Marina Franca
Chegança do Almirante Negro- Foto: Marina Franca
 Veja também
A festa é rítmica, o som é marcante e o apito coordena a mudança dos passos. Chapéus enfeitados por fitas e espelhos, cores vivas e muita alegria marcam o espetáculoSaiba mais
O compasso rítmico das batidas dos pés são as características mais marcantes do grupo folclóricoSaiba mais
O enredo é formado pelos mais diversos motivos: amor, guerra, religião, história local, etc., apresentado em tom satírico e humorístico, originando um clima de brincadeirSaiba mais
Destinos Sergipe
Publicidade