História de Campinas
Catedral metropolitana de Campinas (inaugurada em 1883) - Foto: Rubens Chiri
Catedral metropolitana de Campinas (inaugurada em 1883) - Foto: Rubens Chiri

As áreas que hoje constituem o estado de São Paulo já eram habitadas pelo homem desde aproximadamente 12000 a.C. Até a primeira metade do século XVIII, Campinas não passava de uma área ampla constituída por largas faixas de campos naturais, as quais eram designadas simplesmente por campinas, com áreas de mata atlântica fechadas ao redor, em especial nas regiões montanhosas. Naquela época, surgiu um bairro rural na Vila de Jundiaí (hoje Jundiaí) chamado 'Mato Grosso', próximo a uma trilha feita por Bandeirantes do 'Planalto de Piratininga' (a região da atual cidade de São Paulo) entre 1721 e 1730.

Era a 'Trilha dos Goiases', desbravadas por Bandeirantes e que seguia em direção às então recém-descobertas 'Minas dos Goiases', no atual Estado de Goiás. Assim o Bandeirante Fernão de Camargo promoveu a noroeste da Vila de São Paulo a instalação de um ponto de parada de tropeiros (chamado 'Campinas do Mato Grosso' por ter sido erguido num desses campos naturais cercados por mata cerrada) era usualmente feita pelos Bandeirantes, que com isso permitiam ou facilitavam futuro reabastecimento de suas empreitadas desbravadoras, e por isso ao longo do tempo impulsionou comércio e atraiu moradores para o local.

Por volta do ano de 1772, os moradores daquela região reivindicavam a construção de uma capela, já que a igreja mais próxima do povoado situava-se em Jundiaí. A permissão foi concedida um ano mais tarde, demarcando-se, no dia 22 de setembro daquele ano, o local que seria destinado à construção da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, cujo nome foi recebido em homenagem à padroeira, escolhida por votação. A dificuldade das obras daquele tempo fez com que fosse construída uma capela provisória, em 1774. No dia 27 de maio desse ano, foi assinado um ato que dava a Francisco Barreto Leme do Prado o título de 'fundador, administrador e diretor' do núcleo urbano a ser fundado.

Em outro ato feito no mesmo dia, foi definida a medida das ruas e quadras, assim como a posição das casas, sendo esse o primeiro 'plano urbanístico' recebido por Campinas. Poucas semanas depois, em 14 de julho de 1774, frei Antônio de Pádua, primeiro vigário da paróquia, rezou a missa que inaugurava a capela provisória coberta de palha e feita às pressas. A partir daí, instalou-se definitivamente a Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Campinas do Mato Grosso e fundou-se a povoação. Em 14 de dezembro de 1797 Campinas foi emancipada de Jundiaí, através de sua elevação à condição de vila, com o nome de Vila de São Carlos.

Fonte: Ascom Prefeitura de Campinas, IBGE e Wikipédia

Conheça mais sobre Campinas
Destinos São Paulo
Publicidade