Grutas e Cavernas

Caverna do Diabo (Eldorado-Sp) Foto: Lalo de Almeida / Folha Press
Caverna do Diabo (Eldorado-Sp) Foto: Lalo de Almeida / Folha Press

Principais Grutas e Cavernas de São Paulo

As grutas e cavernas que existem no Estado de São Paulo estão espalhadas em quase uma dezena de municípios. Os labirintos, fendas, pequenos riachos de água límpida, estalactites e estalagmites e cores incomparáveis estão sempre prontos para a descoberta dos amantes da natureza.

Uma das mais famosas é a Caverna do Diabo. É a maior caverna do Estado de São Paulo e fica na cidade de Eldorado , distante 248 km da capital paulista. Atualmente são conhecidos 8.262 metros, porém somente 700 metros são permitidos à visitação. Essa caverna tem iluminação artificial e seu trecho de visitação possui escadas, passarelas e pontes que facilitam bastante a visita em seu interior. É uma das mais belas cavernas brasileiras, com suas gigantescas formações minerais que, por sua forma e harmonia, impressionam seus visitantes.

Em Iporanga, o turista também vai encontrar o município com o maior número de cavernas do Brasil. A Casa da Pedra possui o maior pórtico de entrada do planeta, com 215 metros de altura. Santana é a que mais recebe visitantes no Estado de São Paulo para contemplar suas belezas como as estalagtites (formações que vêm do teto, criadas pelas gotas d'água durante os milhares de anos) e estalagmites (aquelas que são depositadas no chão, pelo mesmo processo). Nas cavernas abertas a visitação só é possível a entrada acompanhado de monitores ambientais, usando capacete e equipamento de iluminação.

Circuito Caverna da Mata Atlantica
Este circuito, no sul do Estado de São Paulo, é composto por quatro municípios: Apiaí, Barra do Turvo, Eldorado e Iporanga. Apiaí e Iporanga pertencem à macrorregião turística - MRT Sudoeste Paulista¹/região turística - RT Alto Vale do Ribeira, e Eldorado e Barra do Turvo pertencem à MRT Vale do Ribeira²/RT Caminhos da Mata Atlântica. Recebe este nome, evidentemente, pelo grande número de cavernas que há na região: centenas delas, embora poucas abertas à visitação. Destas, a mais conhecida é a Caverna do Diabo, em Eldorado.

Está na região a maior área contínua de Mata Atlântica do país, um verdadeiro paraíso com milhares de hectares de remanescentes de restingas e de manguezais, além de dezenas de cachoeiras, rios, córregos, trilhas e comunidades quilombolas. Ali, vivem cerca de 400 espécies de aves, 183 de anfíbios, 146 de répteis e 131 de mamíferos. Trata-se de área protegida por unidades de conservação ambiental como o Parque Estadual de Jacupiranga e o Parque Estadual turístico do Alto Ribeira - PETAR - a maior concentração de cavernas da América do Sul.

Barra do Turvo
É um 'município parque', pois se situa dentro de uma área de preservação ambiental, coberto por grandes porções do que restou da Mata Atlântica, a maior biodiversidade do planeta e considerado patrimônio da humanidade. Há cinco cavernas pequenas não exploradas, rios com corredeiras, próprios para esporte, e rios para pesca esportiva. Como ponto de destaque existe o 'Pico das Araras', local perfeito para saltos de 'asa delta' e que promete ser um ponto de convergência para o esporte. Sua área está distribuída em três parques estaduais: Caverna do Diabo, Rio do Turvo e Jacupiranga.

Eldorado
Com sua área distribuída em três parques da Mata Atlântica - Caverna do Diabo, Jacupiranga e Intervales - o município tem cavernas e guarda uma abundância de pequenos córregos e ribeirões de águas límpidas que possuem inúmeras cachoeiras e piscinas naturais excelentes para banhos e mergulhos. O Vale das Ostras é formado pelo Ribeirão das Ostras, o mesmo que atravessa toda a Caverna do Diabo e que forma cerca de 12 cachoeiras das mais diversas formas e tamanhos.

A Trilha das Ostras percorre todo esse trajeto, de aproximadamente 6 km, passando pela cachoeira do Engano, a cachoeira do Vomito, a da Meia-Volta, a Escondida, o Salto Triplo, a cachoeira do Funil, do Palmito e do Papo, o Poço Verde e o Poço Azul, chegando ao ponto culminante do roteiro, a Queda de Meu Deus, uma cachoeira com 53 metros de altura.

Iporanga
A Capital das Cavernas possui a maior concentração de cavernas do Brasil, com mais de 300 catalogadas, destaque para a caverna Casa de Pedra que possui o maior portal do mundo, com 215 m de altura e também para a caverna de Santana, a mais ornamentada e visitada da região. Os rios, trilhas, cachoeiras e cavernas de Iporanga formam um cenário ideal para o ecoturismo e a para a prática de esportes de aventura, como rapel, trekking, boia-cross e cascading.

Patrimônio Histórico: Fundada em 1576 com a mineração do ouro, mantém sua história e tradições com seus casarios, construções coloniais em estilo barroco tombadas pelo CONDEPHAAT e suas diversas comunidades quilombolas. Patrimônio da Humanidade: Iporanga está localizada numa região de Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, considerada pela UNESCO. Sua área também está distribuída em três Parques Estaduais: Caverna do Diabo, Intervales e PETAR.

Cavernas do Petar
A existência de matas bem conservadas, aliada à característica de relevo escarpado e cárstico, que faz frente aos ventos do Atlântico Sul, resulta em grandes quantidades de chuva, cuja água é armazenada e escoada por densa drenagem superficial e subterrânea. A região funciona como um enorme reservatório de água para o futuro. Deslumbrantes cachoeiras, formadas por rios cristalinos, lançam-se rumo às planícies, através de altitudes que variam de 200 a mais de 1.000 metros.

Correndo rápido pela acentuada declividade desta porção da Serra de Paranapiacaba, as águas pluviais, saturadas de ácido carbônico proveniente de solos altamente húmicos dos seus arredores, penetram nas fissuras rochosas e desgastam continuamente o calcário, abrindo dutos e galerias, originando um dos espetáculos mais incríveis da natureza: as cavidades naturais ou cavernas calcárias. Seus impressionantes e magníficos espeleotemas (estalactites, estalagmites, cortinas, colunas, flores, etc.) atestam esta contínua e lenta evolução.

Todo um mundo à parte, condicionado pela ausência de luz, encerra-se nestas cavernas, com espécies adaptadas a viverem apenas nestes ambientes, os troglóbios como o bagre-cego (Pimelodella kronei) ou o grilo cavernícola, entre outros, ou dependentes dela, os troglófilos como algumas espécies de morcegos. O alimento para pequenos insetos, aracnídeos, crustáceos, peixes, entre outros, é trazido tanto pelo rio que corta a caverna, como pelas fezes dos morcegos. Esta característica aumenta ainda mais a complexidade da biodiversidade local.

 

Fonte: Governo de São Paulo

Gruta do Anjo (Socorro-Sp) Foto: Ernandes C. Santos
Gruta do Anjo (Socorro-Sp) Foto: Ernandes C. Santos
Caverna do Diabo (Eldorado-Sp) Foto: Gov SP - Fotos públicas
Caverna do Diabo (Eldorado-Sp) Foto: Gov SP - Fotos públicas
VER MAIS 6 FOTOS
 Veja também
A história de São Paulo confunde-se com a história dos rios. Foi às margens do rio Piratininga, atual Tamanduateí, que nasceu a cidade São Paulo. Assim que chegaram à cidade, os jesuítas instalaram...Saiba mais
A faixa litorânea do estado de São Paulo é basicamente dividido e 3 regiões: Litoral Sul, Baixada Santista e Litoral Norte. Por toda essa extensa costa, podemos encontrar desde enormes cidades cheias...Saiba mais
A maior parte do território pertence a Bacia do Rio Paraná, onde também destacamos entre outros, o Rio Grande, Tiête e Paranapanema. O Estado de São Paulo é formado basicamente pelos biomas Mata...Saiba mais
Destinos São Paulo
Publicidade