Chinese (Simplified)EnglishFrenchGermanHindiItalianJapanesePortugueseRussianSpanish
Historia de Assunção
Palacio de los Lopez - Foto: Felipe Mendez (Licenca-Gfdl)
Palacio de los Lopez - Foto: Felipe Mendez (Licenca-Gfdl)

A Muito Nobre e Leal Cidade de Nossa Senhora Santa Maria da Assunção (nome oficial da cidade é o estabelecimento permanente mais antigo na bacia do Rio da Prata fundado por Juan de Salazar y Espinosa de los Monteros, natural de dita vila na Espanha. A fundação do forte que daria vida à cidade de Assunção se levou a cabo no território dos carios, uma das tribos guaranis que ocupavam a região. Durante a época colonial foi um importante centro de descanso e reaprovisionamento, para aqueles que chegavam ao Rio da Prata desde Europa, atraídos pelo ouro e a prata do Alto Peru. Assunção é conhecida como a 'Mãe das Cidades' porque, durante a conquista espanhola, partiram dela várias expedições com o objetivo de fundar outras cidades do cone sul-americano, entre elas Buenos Aires (na segunda vez, após a falida tentativa de 1536), Corrientes, Santa Fe, Concepción del Bermejo, Santa Cruz de la Sierra, Santiago de Jerez e Cidade Real.

O local onde hoje localiza-se a cidade, habitado em um princípio por índios carios, foi provavelmente visitada por Juan de Ayolas na expedição ordenada por Pedro de Mendoza a partir da primeira Buenos Aires, e é por esta razão que a Ayolas se atribuía antes sua fundação; mas logo se comprovou que o forte chamado 'Nossa Senhora da Assunção' foi fundado em 15 de agosto de 1537 por Juan de Salazar y Espinosa de los Monteros, que justamente havia ido em busca de Ayolas. Esse forte se converteu na cidade com a criação do cabildo em 16 de setembro de 1541, posto que, até então, só existia um governo de caráter militar.

Durante a época colonial, em 1731, Assunção foi o foco principal de una rebelião sob o comando de José de Antequera y Castro. Foi uma das primeiras reações contra o domínio colonial espanhol. Essa revolta fracassada ficou conhecida como a Revolta Comuneira. Em Assunção, os próceres da independência, na noite de 14 de maio e na madrugada de 15, estalaram o movimento revolucionário paraguaio dirigido pelo capitão Pedro Juan Caballero. Vicente Ignacio Itube, que foi um dos próceres, chegou até a residência de Bernardo de Velasco, mas este não aceitou a proposta de entregar a praça, todo o armamento e as chaves do cabildo. Então os próceres apontaram 8 canhões em frente à casa do governador e Iturbe levou uma nova intimação, impondo um prazo breve para a resposta.

Ao terminar a Guerra da Tríplice Aliança, Assunção iniciou sua penosa reconstrução. A finais do século XIX, assim como a começos do século XX, começou a chegar um fluxo considerável de imigrantes procedentes da Europa e do Império otomano, o qual imprimiu à cidade uma importante alteração em seu panorama urbano; se construíram numerosas edificações e Assunção voltou a viver uma época de prosperidade que não conhecia desde antes da guerra. Entre 1932 e 1935, o Paraguai atravessou a Guerra do Chaco e, nesse contexto, Assunção se converteu em um lugar de socorro e ajuda para os feridos da contenda. A partir de sua fundação, a cidade começou a crescer e estender-se, chegando à atualidade a formar uma grande área metropolitana, conhecida como Grande Assunção, a qual possui mais de 2 000 000 de habitantes, sobre um total de uns 7 000 000 do país.

Fonte: Wikipédia

Conheça mais sobre Assunção
Destinos Paraguai
Publicidade