Cachoeiras

Cachoeira de Cavalcante - Foto: Flavio Isaac - Goiás Turismo
Cachoeira de Cavalcante - Foto: Flavio Isaac - Goiás Turismo

Principais Cachoeiras de Goiás

Goiás é a terra de Cora Coralina e da chapada mais mística do Brasil abriga outra atração natural que convida seus visitantes a caírem n’água. Passada a temporada de chuvas no Centro-Oeste, essa é a hora de visitar as cachoeiras de Goiás. Seja na Chapada dos Veadeiros, na aventureira Mambaí e até dentro de cavernas, o destino é extremamente rico nas quedas d’água mais cenográficas do Brasil.
A melhor época bem aproveitada é de maio a setembro, quando a Chapada está florida, os reservatórios estão cheios e as cachoeiras se encontram com um maior volume de água.

(( Em Alto Paraíso-Go ))

Cachoeira Saltos do rio Preto
As belas quedas ficam dentro do parque e são acessíveis por trilhas íngremes. Quem chega aos saltos do rio Preto, porém, aprecia as mais impressionantes cachoeiras da chapada. O Salto 1, com 120 metros, abriga um mirante; enquanto o Salto 2 forma a maior piscina natural da região, perfeita para banhos. A entrada principal
A cachoeira é formada por duas quedas. A primeira, de 50 metros, pode ser observada de cima e de baixo. A segunda queda é bem menor, com 15 metros. Ambas formam piscinas naturais e são acessíveis por trilhas. leia mais

Cachoeira do Vale do rio Macaquinho
A trilha de cinco quilômetros até a queda principal não é das mais fáceis, mas compensa pelas belezas ao longo do percurso - cânions, piscinas naturais e cachoeiras de até 50 metros. É procurada para a prática de canyoning. Até o Macaquinho são uns 40 km de terra, mas compensa.

Cataratas dos Couros
As quatro imponentes cascatas que ultrapassam os cem metros são formadas pelo rio dos Couros e incorporam também a cachoeira da Muralha. O visual do conjunto das cascatas é belíssimo.

Cachoeira da Água Fria
Uma trilha leva ao topo da cachoeira de cem metros de altura e descortina bonita paisagem. A área é considerada uma das melhores para a prática de rapel.

Cachoeira de São Bento
A queda de seis metros forma uma imensa piscina natural utilizada para campeonatos de pólo. A área que contorna a cachoeira é procurada para a observação de pássaros.

Cachoeira do rio Cristal
As cascatas formam piscinas e duchas naturais, perfeitas para o relax. O acesso é por trilha, vencida em vinte minutos.

Morada do Sol
As piscinas naturais formadas por pequenas cascatas são os atrativos da área, acessível por trilha fácil.

Poço Encantado
A cachoeira de 25 metros tem fácil acesso por trilha, além de comodidades como bar, restaurante e área de lazer.

Salto do rio Raizama
A queda de 40 metros forma um poço bom para banhos - para chegar até ele é preciso caminhar em meio a um cânion.

Cachoeira da Carioca
De acesso fácil, porém longo, a cachoeira de vinte metros é emoldurada por duas enormes gargantas de dez metros de profundidade. Fica dentro do parque nacional. A entrada principal da reserva fica na vila de São Jorge, a 38 quilômetros de Alto Paraíso.

Cachoeira do vale do rio Macaco
A cachoeira é formada por várias quedas e gargantas que chegam a cem metros de altura. Os freqüentadores são os praticantes do canyoning, que enfrentam estradas de terra em veículos 4x 4 e caminhada por trilhas até chegar ao ponto final.

(( Em Cavalcante ))

Cachoeira de Santa Bárbara
A trilha de 5 km é exigente até essa atração de Cavalcante (sobretudo para quem escolhe fazê-la a pé), mas essa atração a 90 km de Alto Paraíso é um dos cenários mais impactantes de toda a Chapada dos Veadeiros. Para visitá-la, a opção mais cômoda são as aventureiras travessias em carros 4×4 que cruzam terrenos irregulares e córregos, e uma caminhada de mais 1 km que passa por cenográficas trilhas de cerrado de campo sujo, como são conhecidas as áreas com arbustos.

Seja qual for a sua escolha, a recompensa se dá em forma de um poço de tom, exageradamente, verde-esmeralda de até 3 metros de profundidade, alimentado por uma cachoeira de 28 metros de altura. Para fazer um esquenta, passe antes na vizinha Barbarinha, uma queda de 3 metros de altura e um pequeno poço de 8 metros de diâmetro, em mata fechada.

Cachoeira Capivara
Essa sequência de quedas d’água é outra atração natural obrigatória para quem visita Cavalcante, na Chapada dos Veadeiros, cujas águas correm para o interior de um cânion, após formar piscinas para banhos. A trilha de acesso, a 22 km da cidade, tem 2 km de extensão (ida e volta) e apresenta trechos íngremes e escorregadios que exigem atenção redobrada.

Cachoeira Ave Maria
Linda e proibida, essa queda d’água de 125 metros de altura fica entre Cavalcante e Minaçu, na Chapada dos Veadeiros, e só pode ser vista, parcialmente, do alto de um mirante improvisado, próximo à estrada. A queda d’água por entre as fendas de um cânion fica ainda mais impactante, após dias de chuvas, porém a região sem estrutura ainda é uma desconhecida do público, devido ao difícil acesso.

(( Em São Jorge ))

Saltos do Rio Preto
Com 120 e 80 metros de quedas d’água, respectivamente, as cachoeiras do Rio Preto I e II são as atrações mais marcantes da puxada Trilha da Janela, na Chapada dos Veadeiros, uma caminhada de possui 8 km, aproximadamente, e alto nível de dificuldade. Embora seja possível vê-la de perto, por trilhas pelo interior do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, os guias locais garantem que o melhor ainda é a vista panorâmica que se tem do alto da Trilha da Janela.

Cachoeira do Abismo
A gente não precisa se perder em explicações para você entender o nome dessa discreta e bela cachoeira de São Jorge, na Chapada dos Veadeiros. Localizado a 38 km de Alto Paraíso, esse município serve de ponto de partida para uma trilha de 4,5 km de extensão (ida e volta) até essa pequena queda d’água escondida entre rochas e com vista para o imenso vão da Serra de Santana.

(( Em Manbaí ))

Cachoeira do Funil
Certos cenários fotogênicos cobram seu preço para serem vistos e essa queda d’água do município de Mambaí é uma delas. Localizada no extremo nordeste de Goiás, no limite com a Bahia, essa cachoeira de 20 metros de altura tem acesso pelo interior de uma caverna, por onde o visitante deve fazer uma trilha de 200 metros (com água na cintura, diga-se de passagem) até uma das bocas desse canal subterrâneo de rochas calcárias.

Cachoeira almecegas (Alto Paraiso) Foto: Silvio Quirino-Goiás Turismo
Cachoeira almecegas (Alto Paraiso) Foto: Silvio Quirino-Goiás Turismo
Salto do Rio Preto (Alto Paraiso) Foto: Silvio Quirino-Goiás Turismo
Salto do Rio Preto (Alto Paraiso) Foto: Silvio Quirino-Goiás Turismo
Cachoeira de Cavalcante - Foto: Flavio Isaac - Goiás Turismo
Cachoeira de Cavalcante - Foto: Flavio Isaac - Goiás Turismo
VER MAIS 4 FOTOS
 Veja também
Em todo o estado, assumem grande importância as lagoas naturais e os lagos formados pelo barramento artificial dos rios para geração de energia elétrica ou abastecimento público. Estes lagos representam cerca...Saiba mais
Engana-se quem pensa que as características de vegetação de savana, típicas do Cerrado, são reflexos de escassez de água na região. Pelo contrário, Goiás é rico em recursos hídricos, sendo considerado um dos...Saiba mais
O Parque preserva muito mais que as famosas cachoeiras de Pirenópolis (GO), principal destino turístico dos brasilienses nos fins de semana e feriados. Cidades da região guardam cavernas e grutas com riquezas...Saiba mais
Destinos Goiás
Publicidade