Últimos posts

Reisado

Reisado Santo Antonio - Foto: Cesar de Oliveira
Reisado Santo Antonio - Foto: Cesar de Oliveira

Uma homenagem dos Reis Magos

O Reisado, de origem ibérica, se instalou em Sergipe no período colonial. É uma dança do período natalino em comemoração do nascimento do menino Jesus e em homenagem dos Reis Magos. Antigamente era dançado às vésperas do Dia de Reis, estendendo-se até fevereiro para o ritual do “enterro do boi”. Atualmente, o Reisado é dançado, também, em outros eventos e em qualquer época do ano.

A cantoria começa com o deslocamento do grupo para um local previamente determinado, onde é cantado “O Benedito”, em louvor a Deus, para que a brincadeira seja abençoada e autorizada. A partir daí, começam as “jornadas”. O enredo é formado pelos mais diversos motivos: amor, guerra, religião, história local, etc., apresentado em tom satírico e humorístico, originando um clima de brincadeira.

O Reisado é formado por dois cordões que disputam a simpatia da platéia e são liderados pelas personagens centrais: o “Caboclo” ou “Mateus” e a “Dona Deusa” ou “Dona do Baile”. Também se destaca a figura do “Boi”, cuja aparição representa o ponto alto da dança. Os instrumentos que acompanham o grupo são violão, sanfona, pandeiro, zabumba, triângulo e ganzá. O Reisado tem como característica o uso de trajes de cores fortes e chapéus ricamente enfeitados com fitas coloridas e espelhinhos.

Origens Ibéricas e Raízes no Período Colonial:

O Reisado de Sergipe, enraizado na tradição ibérica, encontrou solo fértil no estado durante o período colonial, consolidando-se como uma manifestação cultural única. Além de suas raízes natalinas em celebração ao nascimento de Jesus e à homenagem aos Reis Magos, o Reisado de Sergipe carrega consigo elementos que refletem a riqueza histórica e cultural da região. Essa tradição, inicialmente associada às festividades do Dia de Reis, expandiu suas apresentações ao longo do ano, permeando outros eventos e ocasiões.

Invocação Divina e Narrativas Multifacetadas:

O início do Reisado é marcado não apenas pelo deslocamento do grupo para um local específico, mas também por uma rica tradição musical. 'O Benedito' não apenas é entoado em louvor a Deus, mas também serve como uma espécie de invocação, buscando bênçãos divinas para a performance que se seguirá. As 'jornadas' que se desdobram apresentam enredos multifacetados, abordando não apenas temas universais como amor e guerra, mas também explorando aspectos específicos da religião, história local e tradições, tudo permeado por uma atmosfera de sátira e humor.

Competição de Cordões e o Simbolismo do Boi:

A dinâmica do Reisado se desenha através dos dois cordões que competem pela simpatia da plateia, liderados por figuras centrais como o 'Caboclo' ou 'Mateus' e a 'Dona Deusa' ou 'Dona do Baile'. Contudo, a presença marcante do 'Boi' não apenas simboliza um ponto alto da dança, mas também incorpora elementos mitológicos e culturais locais, conferindo uma camada adicional de significado à performance. Os instrumentos musicais, que acompanham o grupo, como violão, sanfona, pandeiro, zabumba, triângulo e ganzá, contribuem para criar uma trilha sonora única que ressoa com a identidade cultural do Reisado.

Tradição Musical e Ornamentos Festivos:

Outro aspecto distintivo é o traje utilizado, caracterizado pelo uso de cores vibrantes e chapéus ricamente enfeitados com fitas coloridas e espelhinhos. Esses trajes não são apenas ornamentos festivos; eles carregam consigo símbolos e padrões que refletem a riqueza simbólica e a identidade cultural única do Reisado de Sergipe. Essa expressão artística, ao longo dos anos, tornou-se um espelho não apenas das tradições passadas, mas também da capacidade de adaptação e evolução, consolidando-se como um patrimônio cultural vivo e dinâmico.

Evolução ao Longo do Tempo:

O Reisado de Sergipe não apenas celebra tradições antigas, mas também demonstra uma notável capacidade de adaptação e evolução. Ao expandir suas apresentações para além das festividades tradicionais, essa expressão cultural tornou-se um patrimônio dinâmico, capaz de se reinventar e transmitir valores culturais em diversas ocasiões ao longo do ano. O Reisado, assim, não apenas preserva as raízes do passado, mas também floresce como uma manifestação viva da identidade cultural de Sergipe e do Brasil como um todo.

Preservação da Identidade Cultural:

O Reisado de Sergipe desempenha um papel fundamental na preservação da identidade cultural da região, sendo um testemunho vivo das tradições que foram transmitidas ao longo das gerações. Essa forma de expressão artística serve como um elo entre o passado e o presente, conectando as comunidades locais com suas raízes históricas e culturais. Ao manter viva a prática do Reisado, os participantes e espectadores contribuem para a continuidade e valorização do patrimônio cultural sergipano.

Inclusão e Participação Comunitária:

O Reisado é mais do que uma simples apresentação artística; é uma celebração que envolve ativamente a comunidade. A inclusão de diferentes membros da sociedade, independentemente de idade ou status social, destaca a natureza participativa dessa tradição. O envolvimento ativo de diversos setores da comunidade fortalece os laços sociais e promove uma sensação de pertencimento, transformando o Reisado em uma experiência comunitária rica e inclusiva.

Desafios e Renovação:

Apesar de sua longa história, o Reisado enfrenta desafios à medida que o tempo avança. Mudanças sociais, econômicas e culturais podem afetar a prática e a continuidade dessa tradição. No entanto, a capacidade de adaptação do Reisado, sua habilidade de incorporar novos elementos e narrativas, demonstra sua resiliência e a vontade de se renovar para enfrentar os desafios contemporâneos, garantindo sua relevância ao longo do tempo.

Reconhecimento Nacional e Internacional:

O Reisado de Sergipe não se limita às fronteiras estaduais; sua importância transcende o local, sendo reconhecido nacional e internacionalmente como uma expressão cultural única e valiosa. Festivais e eventos que destacam o Reisado servem como plataformas para compartilhar essa tradição com públicos mais amplos, contribuindo para a promoção da cultura sergipana além das fronteiras do estado e do país.

Educação e Transmissão de Conhecimento:

Além de entreter, o Reisado desempenha um papel educacional crucial ao transmitir conhecimentos históricos, culturais e mitológicos. As narrativas apresentadas durante as jornadas não apenas entretêm, mas também educam, proporcionando às gerações mais jovens um entendimento mais profundo de sua herança cultural. Dessa forma, o Reisado não é apenas uma dança festiva; é uma forma de preservar, educar e transmitir o rico patrimônio cultural de Sergipe para as gerações futuras.

 
 
Reisado Moça Bonita - Foto: Portal Infonet
Reisado Moça Bonita - Foto: Portal Infonet
Reisado Santo Antonio - Foto: Cesar de Oliveira
Reisado Santo Antonio - Foto: Cesar de Oliveira
 Veja também
O pandeiro é o principal instrumento, eles utilizam também apitos e espadas. Bastante teatral, a apresentação completa da Chegança demora, geralmente, 60 minutosSaiba mais
Após a libertação, os negros saíram pelas ruas vestidos do jeito como faziam para fugir dos seus donos. Nasceram assim os parafusos.Saiba mais
Cangaceiros é costume vivo até hoje, revivendo as estórias e histórias de Lampião cantadas e decantadas em prosa e versoSaiba mais
Destinos Sergipe
Publicidade