Historia de Sydney
Uma das Baías de Sidney - Foto: Katebranch (Licença-cc-by-sa-3.0)
Uma das Baías de Sidney - Foto: Katebranch (Licença-cc-by-sa-3.0)

A região onde hoje em dia fica a cidade de Sydney tem sido ocupada continuamente pelo ser humano há pelo menos 40 000 anos por povos aborígenes. Quando os britânicos ali chegaram, em 1782, batizaram-nos povos 'Eora', pois ao perguntarem aos aborígenes locais de onde eles haviam vindo, a resposta dada era sempre 'eora', que significa 'aqui', ou 'deste lugar'. O principal grupo aborígene na região era o Cadigal, mas havia muitos outros espalhados pelas proximidades, como o Wangal, Kameygal, Birrabirragal, e Cannalgal. O Governador Phillip estimou na época que havia cerca de 1500 aborígenes num raio de 10 milhas (cerca de 16 km) da Baía de Sydney. No entanto, a população aborígene foi drasticamente reduzida após uma epidemia de varíola em 1789, trazida pelos recém-chegados europeus. Os sobreviventes foram gradativamente sendo empurrados pelos europeus para áreas periféricas, como Botany Bay e La Perouse, ao Sul. Em 1830, já quase não havia aborígenes vivendo na cidade de Sydney.

O capitão James Cook foi o primeiro europeu a alcançar a região de Sydney, a 29 de Abril de 1770, ancorando o seu navio Endeavour na Baía Botany (Botany Bay). Quando o governo britânico procurava um lugar para onde enviar condenados, Sir Joseph Banks, o botânico a bordo do Endeavour, recomendou Botany Bay. Sob instruções do governo britânico, Arthur Phillip e o primeiro dos onze navios da First Fleet (Primeira Frota) chegou à baía em 18 de Janeiro de 1788. No entanto, não havia boas fontes de água doce e nem uma ancoragem segura no local, o que o levou a navegar para norte até Port Jackson (que viria a ser conhecido como Baía de Sydney), onde encontrou condições ideais em Sydney Cove. Lá, em 26 de Janeiro de 1788, realizou uma cerimônia para marcar o início da nova colônia, a Nova Gales do Sul. Esta data é hoje celebrada como o Dia da Austrália.

Os condenados para lá enviados construíram ruas, pontes, cais, edifícios públicos, e em torno de 1822 a cidade já possuía bancos, mercados, policiamento e vias públicas bem estabelecidas. Grande desenvolvimento ocorreu sob o governo de Lachlan Macquarie. A partir de 1830, imigrantes britânicos livres começaram a chegar à cidade em busca de uma vida melhor nas novas terras. Em 1851, ocorreu a primeira de uma série de 'corridas do ouro', que expandiram a cidade e trouxeram rápido crescimento e o consequente desenvolvimento de vários subúrbios, com a chegada de imigrantes de vários outros países. A industrialização no final do século XIX, e a construção de linhas de trens ligando Sydney ao interior, atraiu ainda mais gente à cidade, e no início do século XX a cidade já tinha mais de um milhão de habitantes.

Durante o século XX, imigrantes chegaram da Europa primeiramente, e da Ásia, em seguida. Hoje Sydney continua a receber um enorme número de imigrantes, agora vindos de todos os locais. Nos últimos anos, pela primeira vez na História, o número de imigrantes provenientes da China têm sido maior do que o de qualquer outro país, incluindo a Grã-Bretanha, historicamente a maior fonte de imigrantes. Bairros onde os chineses se estabeleceram incluem Ashfield e Chinatown, próximo ao centro da cidade. Os italianos escolheram Leichhardt como moradia, e os gregos estabeleceram-se em La Perouse. Strathfield serve aos coreanos. Muitos libaneses e outros povos árabes vivem em Bankstown e Liverpool. Os portugueses estão presentes principalmente na região de Petersham, no oeste da cidade.

Fonte: Wikipédia

Conheça mais sobre Sydney
Destinos Australia
Publicidade