MTur destaca importância do ecoturismo para economia brasileira

 16/08/2019  |  Postado por: Redação Visite o Brasil
Pedra do Sanduiche - Novo Airão-AM - Foto: Ana Cláudia Jathay
Pedra do Sanduiche - Novo Airão-AM - Foto: Ana Cláudia Jathay

'Precisamos desenvolver o turismo ecológico integrado à diversidade sociocultural e à conservação da biodiversidade, principalmente nas nossas unidades de conservação. Além disso, precisamos potencializar a promoção e comercialização em âmbito nacional e internacional'. Disse Santos.

Com um público de mais de 400 gestores, empresários e representantes do turismo no Brasil, a 16ª edição do Congresso Brasileiro de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta Summit 2019), que acontece até domingo (18) em Ilhabela (SP), destaca a importância do turismo aliado à sustentabilidade. O evento contou com a participação do Ministério do Turismo nesta quinta-feira (15).

No painel “A importância do turismo de natureza na economia”, o secretário nacional de Integração Interinstitucional do MTur, Bob Santos, destacou que nos últimos anos a procura de turistas estrangeiros pelo turismo de natureza cresceu 27,3%. “Isso mostra que o turismo de natureza tem se tornado uma das principais portas de entrada das viagens no Brasil, país considerado o número 1 em atrativos naturais no ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial. Precisamos potencializar esse espaço que o Brasil já possui. O ecoturismo é mais do que um tipo de turismo. Ele é renda, é oportunidade de emprego para o cidadão, é preservação, é educação”, afirmou Santos.

O secretário complementou ainda que o Ministério firmou um acordo de cooperação com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o Ministério do Meio Ambiente e a Embratur com o intuito de incentivar o ecoturismo associado à preservação da biodiversidade. O objetivo é aproveitar o potencial das unidades de conservação para atrair visitantes a estes espaços e ao seu entorno. Dados do ICMBio estimam que os visitantes gastaram cerca de R$ 2 bilhões nos munícipios do entorno das unidades de conservação, gerando cerca de 80 mil empregos diretos.

“Precisamos desenvolver o turismo ecológico integrado à diversidade sociocultural e à conservação da biodiversidade, principalmente nas nossas unidades de conservação. Além disso, precisamos potencializar a promoção e comercialização em âmbito nacional e internacional. Cerca de 71% das visitas a unidades de conservação do Brasil foram realizadas em nossos parques nacionais”, reforçou o secretário.

O debate teve ainda a presença do secretário de Turismo do Estado de São Paulo, Vinicius Lummertz, Pedro de Castro da Cunha e Menezes, do Ministério das Relações Exteriores, além do professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Cadu Yang. Promovido pela Prefeitura de Ilhabela, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e do Turismo, a edição 2019 do Abeta Summit tem o objetivo de produzir conhecimento para melhorar a capacidade de gestão e inovação de micros e pequenos negócios, ampliar a rede de relacionamentos do segmento e promover novas oportunidades de negócios para empresas e destinos turísticos.

O ciclo de palestras, que começa nesta quinta-feira (15), contará com painéis como “Turismo na Economia”, “Turismo Náutico” e “O Papel das Reservas Naturais”, entre outros. Na sexta-feira (16), o dia será focado em experiências e atividades ao ar livre para os participantes, como caminhada e cicloturismo, regata oceânica, caiaque e stand up padle, além de visitas às praias de Castelhanos e Bonete. O sábado (17) será reservado para capacitação. Ao longo do dia, serão feitas 11 oficinas com variados temas. O evento encerra no domingo (18) em uma assembleia com os associados da Abeta.

 

Por: Redação Visite o Brasil
Salvador / BA
TAGS:  ,  
VER TODAS NOTICÍAS
NOTICÍAS
Publicidade