Cruzeiros em busca de novos roteiros na costa brasileira

 05/07/2017  |  Postado por: Ramon Andrade
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A primeira conquista veio em maio, quando foi regulamentada a Lei de Migração, onde se definiu que os cruzeiros dos navios que circulam pelo Brasil não precisarão mais de vistos para exercer a sua atividade.

Com a alta temporada de cruzeiros iniciando ao final de outubro desse ano, o setor está se preparando para receber mais 500 mil passageiros em sete navios definidos para aportarem no Brasil.

Apresentando um plano de expansão da entidade e seus associados para o setor,  esteve nesta segunda-feira (03-07) no Ministério do Turismo,  o presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (CLIA-Abremar), Marco Ferraz.

“Estamos pesquisando vários portos que podem receber nossos cruzeiros nas próximas temporadas, como Morro de S. Paulo (BA), Itajaí, São Francisco do Sul e Florianópolis (SC), além de Guarapari e Vitória (ES). Tivemos recentemente uma experiência muito positiva em Camboriú – fizemos um teste em abril e o destino receberá 21 escalas já na próxima temporada, gerando um grande impacto econômico na cidade”, frisou Marco Ferraz.

Segundo uma pesquisa realizada recentemente pela Fundação Getulio Vargas, cada passageiro de um grande navio chega a desembolsar cerca de R$ 466,00 por dia em cada escala realizada em uma cidade. Considerando-se de que cada navio recebe até 3.400 passageiros, as 21 escalas definidas para Balneário Camboriú,  deverão injetar na economia do município, algo em torno de R$ 34 milhões.

Melhora nas condições

O Ministério do Turismo tem itensificado os trabalhos,  para tornar o setor de cruzeiros bem competitivo. O ministro Marx Beltrão tem se reunido com representantes do setor para traçar várias estratégias afim de melhorar as condições dos grandes navios no país. “Este é um setor bastante dinâmico. Se não damos condições para os cruzeiros operarem, eles simplesmente vão para outros países. Com isso, perdemos turistas e a economia fica enfraquecida”, afirmou o ministro do Turismo.

A primeira conquista veio em maio, quando foi regulamentada a Lei de Migração, onde se definiu que os cruzeiros dos navios que circulam pelo Brasil não precisarão mais de vistos para exercer a sua atividade O fim da exigência vai representar uma redução de até R$ 500 mil no custo de cada navio.

No momento, o Ministério do Turismo planeja junto ao setor, na identificação de novas rotas, bem como, na redução dos custos da operação de cruzeiros, objetivando a atração de mais navios, na intenção da geração de empregos e forte injeção na economia do Brasil.

 

Por: Ramon Andrade
Salvador / BA
Diretor Geral do Visite o Brasil.
TAGS:  ,  
VER TODAS NOTICÍAS
NOTICÍAS
Publicidade