As Indumentárias das Baianas e suas representatividades

 18/11/2016  |  Postado por: Jussara Assuncao
Membros da Irmandade da Boa Morte - Foto: Rita Barreto (Setur-Ba) - Licença: cc-by-sa-3.0
Membros da Irmandade da Boa Morte - Foto: Rita Barreto (Setur-Ba) - Licença: cc-by-sa-3.0

A cultura baiana é sem dúvidas uma das mais diversificadas do Brasil, bem como, é considerada como uma das mais ricas do país, conservando não apenas um rico acervo de obras religiosas, arquitetônicas, como também, é berço das mais típicas manifestações culturais populares, englobando sua culinária, música, além de presença em praticamente todas as artes.

Com características próprias, a Bahia resulta de uma rica miscigenação entre o índio nativo, o português colonizador e o negro escravizado. Nessa gigantesca vastidão cultural, entre suas principais atrações imateriais e de maior representatividade, estão as baianas caracterizadas em suas belíssimas e variadas indumentárias.

Quando você for à Bahia, encontrará em diversos pontos turísticos e várias esquinas, e Praças, lindas Baianas que ficam com suas tradicionais e coloridas indumentárias recepcionando turistas e visitantes para posar para as famosas fotos que correm o mundo fazendo grande sucesso. Outras montam seus tabuleiros recheados com a mais rica e saborosa gastronomia regional, - as famosas baianas do acarajé -.

As baianas com suas vestes tradicionais que por séculos perseveram na preservação dessa cultura, é marca registrada do turismo da Bahia. Mas o que muitos não sabem é a representatividade dessas vestes chamadas de indumentárias das Baianas - que dá todo toque especial na aparência das mesmas -.

O vestuário chamado Baiana é uma indumentária tradicional e é a mesma usada nos terreiros de candomblé. Segundo pesquisas feitas com representantes da classe, existem Indumentárias para todas as ocasiões. Mas o que muitos não sabem é o que representa as Indumentárias das Baianas. A roupa de ração, por exemplo, é a mais simples, já as roupas feitas com bordado Richelieu podem custar por volta de 15 mil reais.

A roupa de baiana pode tomar um colorido especial quando se trata das baianas de eventos turísticos; a roupa da baiana de escolas de samba é um caso à parte – podem mudar de cor e de modelo de acordo com o enredo da escola de samba a cada ano.

Vamos entender mais um pouco sobre a tradição das Indumentárias das Baianas:

. Roupa de ração é a usada diariamente em uma casa de Candomblé e são simples e feitas de morim ou cretone;

. O vestuário de uma Iyalorixá é diferente das roupas usadas pelas equédis e iaôs, e é caracterizada pelo uso da “bata” que é usada por fora da saia com o camisu por baixo. Nas casas tradicionais somente a Iyalorixá pode usar;

. A veste da baiana do acarajé (ou simplesmente baiana como são chamadas as mulheres que se dedicam à profissão de vendedora de acarajé e outras iguarias da culinária baiana), também são diferentes;

As Baianas de eventos turísticos são sempre mais coloridas. A sua Indumentária é típica das baianas e constitui-se no marco característico da mulher afrodescendente da Bahia, que mantém vivas suas raízes históricas;

. As baianas de escolas de samba: A sua roupa clássica da ala das baianas de escola de samba compõe-se de torso, bata, pano da costa e saia rodada. Entretanto, a criatividade dos carnavalescos não tem limites e frequentemente podemos ver baianas com as mais inusitadas Indumentárias.

O que é que a baiana tem? (Pergunta numa famosa música do baiano Dorival Caymmi, que dá a seguinte resposta:)

'Tem torso de seda, tem! / Tem brincos de ouro tem! / Corrente de ouro tem! / Tem pano-da-costa, tem! / Sandália enfeitada, tem!'
Cantada por grandes intérpretes, desde Carmem Miranda, Maria Bethânia e outros, além do próprio Dorival, foi, durante a primeira metade do século XX, um grande divulgador dessa personagem típica de Salvador e da Bahia.

Ari Barroso, outro grande compositor brasileiro, num dos seus maiores sucessos, também faz referência à quituteira da Bahia, no samba de 1936, onde 'No tabuleiro da baiana tem: Vatapá, oi, caruru, mungunzá, tem umbu'… mas sobretudo 'desvenda' aquilo que tem a baiana em seu coração: 'Sedução, cangerê, ilusão, candomblé'…(em 'No tabuleiro da baiana').

Além de Carmem, Aurora Miranda foi outra que levou a figura 'cheia de balangandãs' da baiana para as telas do cinema: é a baiana 'Iaiá', no misto de animação e filme The Three Caballeros, de Walt Disney (Você já foi à Bahia?, no Brasil).

Atraído pelos encantos e magia baianos, o artista plástico argentino Carybé retratou como poucos a figura da baiana, assim como muitos outros, a exemplo de Santi Scaldaferri e Pierre Verger.
( #visiteobrasil )

Por: Jussara Assuncao
Estancia / BA
Jornalista MTB-Ba 4840, Prêmio Qualidade Tribuna do Interior - (4o ano consecutivo) Poeta, Diretora de Jornalismo Revista Visite a Bahia e Sergipe também; Editora Revista do Desenvolvimento Prefeitura Estância (Se) e Colaboradora diversos jornais de Sergipe há 30 anos.
Baiana em festa de Caetité -Foto: Andre Koehne
Baianas em Encontro Est. de Maracatu - Foto: Antonio Cruz - Abr
Baianinha - Foto: Antonio José Lima
Baianas na lavagem do Bomfim - Foto: Rita Barreto - Setur-Ba
Baianas na lavagem do Bomfim - Foto: Rita Barreto - Setur-Ba
Baianas na Igreja NSa Rosario dos Pretos - Foto: Antonio José Lima
Baianas na Festa de Iemanjá - Foto: João Ramos - Bahiatursa
Encontro de Baianas de Acarajé - Foto: Carol Garcia (Secom-Ba)
Baianas da Irmandade da Boa Morte - Foto: Rita Barreto - Setur-Ba
Baianas (Imperatriz Leopoldinense)
Baianas na lavagem do Bomfim - Foto: Rita Barreto - Setur-Ba
Baianas do acaraje - Foto: Tatiana Azeviche - Setur-Ba
VER TODAS MATÉRIAS
Publicidade