Pontos Turísticos em Caldas Novas
Parque aquático - Foto: Silvio Quirino - Goias Turismo
Parque aquático - Foto: Silvio Quirino - Goias Turismo

Além de proporcionar diversão, as águas de Caldas Novas tem propriedades medicinais e terapêuticas. Em imersão, há relaxamento dos ossos, juntas e nervos, diminuindo tensões e estresse. A água ingerida na fonte tem compostos minerais que agem sobre o aparelho digestivo, sendo indicada em tratamentos reumáticos, alérgicos, afecções de pele, artrites, nefrites e nevralgias.
Não faltam opções, seja na água quente dos parques aquáticos da região, na Praia do Cerrado, as piscinas naturais do Parque das Fontes, ou o famoso poço do Cozinha Ovos, com temperatura de 58°C na fonte.

A Igreja Matriz de Caldas Novas
Em 1850, atendendo ao clamor dos habitantes do então próspero arraial que era Caldas Novas, foi construída a Paróquia de Nossa Senhora das Dores. Considerada a construção mais antiga de Caldas Novas. Localizada no Centro da cidade, a Igreja Matriz, mesmo tendo passado por reformas, ainda retrata em suas paredes e colunas de madeira, um pouco da cidade que ainda era Intendência, e que já mostrava traços de prosperidade.

Aqueles que visitam Caldas Novas em busca do calor das águas termais para aliviar os males do corpo, encontram na igreja matriz um refúgio igualmente caloroso para as mazelas do espírito. Isso sem falar no seu valor turístico, decorrentes de sua localização privilegiada e de sua bela arquitetura.

Jardim Japonês
Construído pelo japonês Toshiyuki Murai, hoje residindo no Brasil, é um lugar de grande significado espiritualista e que deve ser visitado na companhia de um guia local treinado, que fará a interpretação dos vários componentes do lugar. A origem do Jardim Japonês é do século XIV, quando os monges da seita Zen-Budista saíram da China para o Japão e começaram a se instalar junto aos imperadores e comandantes militares, os shoguns.

Jardim Japonês é assimétrico, permitindo visões diferentes, dependendo do ângulo em que se estiver. Os monges precisavam de espaços especiais para fazer suas orações e meditações. Por isto, usaram elementos da natureza, como as pedras, as plantas e a água, fazendo arranjos os mais diversos. O Jardim Japonês fica na estrada para Goiânia ao lado do Hotel Império Romano.

O Lago Corumba
Considerado um dos melhores locais para se praticar esportes náuticos, o Lago de Corumbá é também  um local com natureza abundante proporcionando um passeio ecológico maravilhoso de barco, lancha ou Jet-Ski. O lago, que abastece a Usina Hidroelétrica Corumbá I, de Furnas Centrais Elétricas, começou a ser formado em setembro de 1996. A altura máxima que ele pode atingir é de 595 metros.
Para circular todo o lago, uma pessoa teria de andar mais de 100 Km.

A parte mais profunda do lago está próxima à barragem e atinge 90m de profundidade. Há lagos que demoram até três anos para voltarem a encher. Espera-se que o Lago Corumbá sofra alterações de no máximo 15m, na seca mais severa, ao passo que outros reservatórios chegam a perder até 25m.

Lagoa Quente
Um pouco da história da Lagoa Quente já foi contada aqui... Em 1777, meio século após a primeira descoberta oficial das águas quentes, o paulista Martinho Coelho de Siqueira, que estava na região à procura de ouro e pedras preciosas, descobre, por acaso, a Lagoa Quente do Pirapitinga. Segundo os relatos da época, os cães de Martinho Coelho estavam caçando um veado, quando caíram nas fontes termais e se escaldaram dando início á fama das águas termais.

Na lagoa quente se encontra a réplica do Quadro a óleo, pintado em 1862 por Félix Taunay, que se encontra no museu da Escola de Belas Artes, no Rio de Janeiro. As nascentes termais da Lagoa Quente estão entre as mais quentes de toda região chegando a 57ºC, como o poço do ovo que é capaz de cozinhar ovos na água natural.

Parque Estadual da Serra de Caldas Novas
O (PESCAN), como é conhecido o 'Parque Estadual da Serra de Caldas Novas”   está localizado entre os municípios de Caldas Novas e Rio Quente, a somente 5 km do centro de Caldas Novas.
Instituído em 1970, em 1998 ganhou moderna e harmoniosa infra-estrutura física, com Sede Administrativa, Centro de Recepção, Alojamento para Pesquisadores e Guardas isso tudo através de recursos de FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS (como ressarcimento do impacto ambiental causado pela instalação da Usina Hidrelétrica de Corumbá I na região).

Por estar próxima do perímetro urbano facilita o acesso da comunidade e dos turistas, o que conseqüentemente obriga a um controle da visitação, de forma que o Parque cumpra sua missão de preservador do Cerrado e do manancial hidrotermal, pois a Serra de Caldas é importante ponto de recarga deste manancial. O Parque é um agente ativo em Educação Ambiental junto à comunidade e espaço destinado à pesquisa do Cerrado, ao mesmo tempo em que promove a visitação, sem causar impacto negativo ao meio ambiente.

Santuário Diocesano de Nossa Senha da Salete
No sabado, 19 de setembro de 1846, bem cedo, duas crianças sobem as ladeiras do monte Planeau, cada uma tocando seu rebanho de quatro vacas. Ao meio dia, no fundo do vale, o sino da Igreja da aldeia toca a hora do Ângelus. Contrariamente a seu costume, as duas crianas se estendem sobre a relva...e adormecem. O clima sob o sol de final de verão, agradavel. Nem uma nuvem no céu. O murmúrio do regato acrescenta calma e ao silêncio da montanha.

Balnerário Municipal
Em 1910, o Major Vitor Alla construiu o primeiro balneário da cidade. Metade das paredes do prédio era construída de adobe e a outra metade de tábua, era o início da história do balneário municipal. Havia uma banheira grande com três canos, cada um com uma temperatura diferente, de 37ºC até 48ºC. As pessoas controlavam a saída da água de acordo com a temperatura que desejavam. Só tomavam banho a família do Major Vitor e os amigos. Sendo que, evidentemente, não se cobrava nada por isso.

Em 1935, a casa de banho foi demolida para a construção de um balneário. O empresário Ciro Palmerston em sociedade com algumas pessoas de Caldas Novas comandou a construção. Havia duas banheiras esmaltadas e três de cimento, cada uma com um grau de temperatura diferente, porque a água era captada de várias fontes. A partir daí, começou a se cobrar pelos banhos.

O Casarão
Os primeiros relatos sobre o Casarão remontam a época em que ele foi vendido a Fernando Gonzaga (cujo nome verdadeiro é Osmundo Gonzaga de Menezes), anos mais tarde, um de seus filhos, João Gonzaga, tendo adquirido as partes da herança de seus irmãos, vendeu o casarão para Antonio Sanches, Este doou ao governo estadual a sede da propriedade, que incluía o casarão e os quintais no inicio dos anos 80.

Foi construído em 1908, com estrutura de adobe e aroeira, sendo considerado um dos prédios mais antigos da cidade. Atualmente esta sob a responsabilidade da Fundação Pedro Ludovico e vinha há algum tempo sem atividade. Passou por uma reforma durante o mandato de Magda Mofatto, e atualmente abriga atividades culturais.

Monumento das Águas Quentes
Localizada no coração do Brasil está a cidade de Caldas Novas, com suas águas termais e uma vida cheia de emoções e ar puro. Seu excepcional clima, suas noites tranqüilas e alegres contribuem para criar um local aconchegante.

O turista tem o privilégio de, logo na entrada da cidade, se deparar com o maior ponto de visitação turística: o Monumento as Águas, que foi inaugurado em 2004 pelo Hotel Thermas diRoma.
Estando em Caldas Novas, não deixe de registrar esse belo cartão postal, que é aberto à visitação e mostra além das belas cascatas e jardins, uma magnífica escultura que leva todos a uma profunda reflexão.

Cachaçaria Vale das Águas Quentes
A Cachaçaria Vale das Águas Quentes produz a aguardente de cana-de-açúcar seguindo os padrões e a tradição dos antigos alambiques de cobre das fazendas coloniais. Envelhecida naturalmente em barris de madeira nobre.

Uma bebida tipicamente brasileira, a cachaça surgiu no século XVII, na mesma época em que iniciaram as primeira culturas de cana-de-açucar, sendo a bebida destilada mais consumida do mundo. A Cachaçaria Vale das Águas Quentes oferece variadas opções de vasilhames, uma linha bidestilada, direcionada à produção de caipirinha, drinks, batidas e outros coquetéis.

Doces Caseiros Dona Maria
Que paladar de bom gosto consegue resistir a um delicioso doce ou a um bom licor caseiro? Pois aqueles que pretendem viver doces momentos em Caldas Novas, não podem deixar e conhecer a tradição e a qualidade dos Doces Caseiros Dona Maria. Dona Maria  iniciou sua pequena produção de forma bem artesanal em meados da década de 60, exatamente quando o turismo, começava a florescer em Caldas Novas.

Com o passar dos anos, graças ao seu amor ao ofício e a seu imenso talento culinário, dona Maria Alves Castro viu seu negócio crescer de forma vertiginosa. Hoje, mais de 40 anos depois, a empresa ampliou sua produção, modernizou a loja , emprega 14 funcionários e se tornou uma referência culinária em Caldas Novas. Doces Caseiros Dona Maria: uma deliciosa história de trabalho, dedicação e sucesso empresarial.

Conheça mais sobre Caldas Novas
Destinos Goiás
Publicidade