Autoridades locais não se entendem sobre forte odor em Cartão Postal de Salvador

 18/10/2017  |  Postado por: Ramon Andrade
Dique do Tororó e Fonte Nova- Foto: João Ramos (Bahiatursa)
Dique do Tororó e Fonte Nova- Foto: João Ramos (Bahiatursa)

As denúncias sobre a poluição nas águas do Dique que chegaram à imprensa nessa semana, são consideradas gravíssimas principalmente porque nenhuma das autoridades locais assumem a responsabilidade, bem como, essa não é a primeira vez que acontece esse triste fato.

Construída no século 18, considerado como um dos principais pontos turísticos da cidade de Salvador, localizado em frente a Arena da Fonte Nova e Tombado pelo Instituto do Patrimônio  Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o 'Dique do Tororó' implora por socorro às autoridades locais, em razão de um terrível mal cheiro provavelmente em virtude do acúmulo de sujeira e lixo podre nas margens da famosa lagoa.

As denúncias sobre a poluição nas águas do Dique que chegaram à imprensa nessa semana, são consideradas gravíssimas principalmente porque nenhuma das autoridades locais assumem a responsabilidade, bem como, essa não é a primeira vez que acontece esse triste fato.

A Secretaria de estado do Meio Ambiente informou, através de nota, que a “administração do Dique do Tororó é com a Prefeitura Municipal de Salvador”. Já a Secretaria Municipal de Manutenção, rebate a informação e diz que a manutenção do Dique do Tororó é de competência do governo do estado .

Por outro lado a Conder (Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia), prestou esclarecimentos por meio de nota que o espelho d’água do Dique do Tororó  não está sob o seu domínio (é de responsabilidade da União), contudo, sua obrigação é apenas realizar retirada de materiais sólidos descartados irregularmente  à exemplo de garrafas plásticas, conhecidas como garrafas pet, como também,  cuida da manutenção de três aeradores que são fundamentais para a oxigenação da água.

Ainda segundo o órgão, foi realizada uma consulta ao Inema (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos) o qual relatou que não detectou nenhum lançamento irregular de efluentes no local e a coloração verde do espelho d´água são originados de nutrientes orgânicos existentes no fundo do manancial, que durante a época de chuvosa e ventos fortes, provocam o carregamento de esgoto, lixo e outros detritos para o corpo hídrico e emergem até a superfície, sendo considerado um fenômeno comum que sempre ocorre em lagos e outros corpos d’água em meio urbano.

Ainda segundo o Inema, adicionalmente, é presumível que o sedimento do dique seja bastante rico em fósforo e nitrogênio, devido ao histórico de lançamento de efluentes no local

As reclamações dos residentes do entorno e principalmente os frequentadores assíduos do Dique do Tororó relatam que o terrível mau cheiro que sai do manancial há mais de úma semana, possue um odor semelhante a dejetos de esgoto.

O mau cheiro na região do Dique do Tororó, está tão intenso que chega à incomodar até os passageiros que estão dentro dos ônibus coletivos, segundo relatos de algumas pessoas que passaram pelo entorno, nessa quarta-feira. Conforme informado por alguns usuários do transporte público, o odor já é sentido desde a região da Avenida Vasco da Gama até às proximidades da estação de transbordo da Lapa.

 

Por: Ramon Andrade
Salvador / BA
Diretor Geral do Visite o Brasil.
TAGS:  ,  
VER TODAS NOTICÍAS
NOTICÍAS
Publicidade