São Paulo - Cultura - Praças Históricas
Monumento à Independência - Foto: Zé Carlos Barretta Torrissen (Licença-cc-by-sa-2.0)
Monumento à Independência - Foto: Zé Carlos Barretta Torrissen (Licença-cc-by-sa-2.0)

Principais Praças Históricas da Cidade de São Paulo

Praça da Sé
A Praça da Sé é um espaço público localizado no bairro da Sé, no distrito homônimo, no Centro do município de São Paulo, no Brasil. É considerado o centro geográfico da cidade. Nela, localiza-se o monumento marco zero do município. A partir dele, contam-se as distâncias de todas as rodovias que partem de São Paulo, bem como a numeração das vias públicas da cidade.

Considerada quase um sinônimo para o Centro Velho, a praça é um dos espaços mais conhecidos da cidade e foi palco de muitos eventos importantes para a história do país, como o comício das Diretas Já. O nome deve-se ao fato de a praça ter-se desenvolvido em frente à Sé da capital paulista.

Originalmente conhecida como o 'Largo da Sé', a praça desenvolveu-se a partir da construção, durante o período colonial, da Igreja Matriz do município (substituída pela atual Catedral Metropolitana de São Paulo no século XX) e de uma série de edifícios ao seu redor. No início do século XX, porém, com a demolição de vários dos edifícios originais e as obras de embelezamento urbano e alterações no sistema viário, a praça transformou-se e assim permaneceu até a segunda metade do século XX.

Praça da Sé abriga o marco zero da cidade de São Paulo, por meio do qual é possível calcular a distância de qualquer lugar em relação ao centro da cidade. A primeira construção dessa região foi a Igreja Matriz, de 1588, que foi reformada e re-estruturada 366 anos depois, em 1954, em razão do aniversário de 400 anos da cidade.

Uma das mais importantes construções da praça é a Catedral Metropolitana, ou Catedral da Sé, que sofreu uma reforma há três anos para que as 14 torres previstas na planta original fossem construídas. A catedral apresenta arquitetura gótica e bizantina, é a maior igreja de São Paulo e uma das maiores do mundo.

Praça Júlio Mesquita
Localizada no triângulo viário formado por avenida São João, alameda Barão de Limeira e rua Vitória foi no passado um endereço bastante charmoso da cidade de São Paulo. Fundada nos primeiros anos do século XX com o nome de Praça Vitória o local recebeu, em 1926, a primeira escultura de rua esculpida por uma mulher na cidade São Paulo, a Fonte Monumental, obra de Nicolina Vaz.

A bela fonte logo tornou-se a grande atração da praça, que em maio de 1927, teve seu nome mudado para Praça Júlio Mesquita, em homenagem ao Doutor Julio César Ferreira de Mesquita,  que foi o fundador do jornal A Província de São Paulo, hoje O Estado de São Paulo. A homenagem foi concedida dois meses depois do mesmo falecer.

Praça da República
No centro de São Paulo, é um dos pontos mais visitados por turistas e moradores da cidade. Isso se deve à sua localização, próxima a avenidas de grande movimento, como a Av. Ipiranga e a Av. São Luís, ruas comercias, como a Vinte e Quatro de Maio, Sete de Abril e Barão de Itapetininga e outros indispensáveis pontos turísticos, como o Theatro Municipal e o Viaduto do Chá. A praça, originalmente chamada de Largo dos Curros era, no século XIX, palco de rodeios e touradas. Após essa fase, foi chamada de Largo da Palha, Praça das Milícias, Largo Sete de Abril, Praça 15 de Novembro e, em 1889, passou a ser Praça da República.

Lar de grandes manifestações políticas que mudaram a história do país, abriga edifícios históricos, como a Escola Normal Caetano de Campos (tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico, Condephaat, em 1978), que em seus anos de operação, recebeu grandes personalidades nacionais e, hoje, é o prédio onde funciona a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo.

A Praça da República começou a se formar no século XVIII, nas terras que pertenciam ao tenente José Arouche de Toledo Rendon. No início, o local era utilizado para exercícios militares. Depois, foi palco de festas, cavalgadas e até touradas, além de servir como pasto de animais. Por isso, um de seus nomes foi Largo dos Curros. O nome atual data de 1889, quando o País tornou-se uma república. Em 1892, a construção do Viaduto do Chá ajudou na ocupação ao redor da Praça, porque foi facilitada a passagem entre o chamado Centro Velho e o Centro Novo.

 

Fonte: Wikipédia

werwre
Conheça mais sobre São Paulo
Conheça São Paulo
Publicidade